Pessoal

Uma segunda casa

img_6153cHá quase dois meses atrás fiz algo que nem todo mundo tem a coragem necessária para fazer: mudar de país. Atravessei o oceano até chegar do outro lado do mundo, no Japão. E preciso contar pra vocês o quanto minha vida mudou.

Não foram só as coisas mais óbvias que se tornaram novas para mim como a casa, trabalho, rotina, idioma, cultura e amigos, mas as mais peculiares também. Não entrar dentro de casa com sapato, jogar papel na privada, semáforos deitados, andar mais de bicicleta do que ônibus, comer doce de feijão e arroz, amar e odiar as estações do ano bem definidas, pagar a compra do mercado sozinha sem atendente, separar o lixo absurdamente, sair de madrugada e ter conveniências abertas em cada esquina com tudo que é necessário. Essas são algumas das coisas que mais achei diferentes do Brasil, mas todo dia descubro algo que me surpreende.

Apesar de muitas pessoas que convivo estranharem essas diferenças eu fico encantada e ansiosa para conhecer mais. É incrível pensar que há meses atrás estava sonhando com esse momento e agora ele é real. A melhor parte é que não tem um prazo para acabar, porque eu não quis determinar um. Quero aproveitar cada momento e viver experiências sem pensar no amanhã. Claro que eu planejo meu futuro, mas o que quero dizer é que quero viver o agora intensamente.

Quando alguém me pergunta quanto tempo pretendo ficar aqui eu sempre respondo que não sei. Dar uma resposta como essa pode parecer que eu não sei o quero pra minha vida, mas é o contrário. Eu sei exatamente onde quero estar, o que eu quero fazer, no que eu quero trabalhar e o que eu quero conquistar. O objetivo é estar em um lugar que eu me sinta em casa e que me proporcione felicidade com as coisas mais simples do dia a dia. E pra mim o Japão é assim. Uma segunda casa.

Fotografia Vídeo

Em busca de uma praia em Kisarazu!

img_6020cUma das perguntas que mais me fazem nas redes sociais é sobre onde estou morando no Japão. Antes que me perguntem também já vou falar que estou na cidade de Kisarazu que fica em Chiba. É uma cidade litorânea bem gostosa de morar e apesar de ser pequena tem muitas coisas legais para conhecer.

Eu, o Eduardo e alguns amigos decidimos conhecer uma praia que ouvimos falar e encontramos pesquisando na internet. O problema é que algumas pessoas falaram que a cidade não tem praia, mas como a nossa curiosidade foi maior decidimos procurar. Gravei um daily vlog desse dia, assistam:

Tirei fotos pelo caminho conforme fomos descobrindo lugares novos. Ah, como estava com saudade de fotografar! Nada melhor do que registrar momentos especiais.

img_6029cimg_6033cimg_6038cimg_6046cimg_6047cimg_6050cFiquei muito tempo sem atualizar o blog, eu sei. Mas sinceramente não tem como atualizar frequentemente por causa da minha rotina. Não vou prometer nada e muito menos falar sobre isso em todos os posts, mas o que posso dizer é que ele não vai morrer. Amo esse espaço, amo fotografar e amo escrever. Então espero que vocês também continuem por aqui! É isso, beijos.

Looks

Seguindo em frente

Sim, estou de volta aqui no blog com fotos de um look. Preciso dizer que senti muita falta de fotografar, editar e escrever um post. Algumas pessoas me perguntaram se eu não poderia atualizar o blog com mais frequência independente do que estou passando e a minha resposta é não. Não dá para focar em vários assuntos ao mesmo tempo e esperar que todos saiam perfeitos. O que acontece é que estou tentando aproveitar ao máximo momentos que sei que mais pra frente vão ser raros. Ainda não chegou a hora de explicar exatamente quais são os planos, mas posso dizer que estão quase prontos!

Combinei com o Eduardo de fazer as fotos em um shopping outro dia. Montei um look confortável e descomplicado, com regata de gola alta, saia preta, jaqueta jeans, botas sem salto e mochila. Eu realmente amei esse look e me senti bem nele. Diria que é simples, mas representa meu estilo nesse momento.

IMG_5921cIMG_5979cIMG_5922cIMG_5912cIMG_5963ccIMG_5945cIMG_5925cIMG_5962cIMG_5932cIMG_5939cIMG_5957cIMG_5964cBlusa: de brechó – Saia: Oasap – Jaqueta: vintage – Botas: Bottero – Mochila: Oasap – Óculos: Ui! Gafas

O look seria preto total se não fosse pela jaqueta que deu um toque de cor. Eu gosto de cores neutras por me transmitirem uma sensação de paz e tranquilidade, por isso mesmo quando uso alguma peça colorida ela não chega a ter uma cor extremamente vibrante.

Encontrei a regata em brechó e amei. Estava desejando muito uma de gola alta e por isso acabei levando uma outra também. O lado bom é que não gastei nada, porque levei peças que não usava e troquei por novas. Essa é uma ótima forma de manter o seu guarda-roupa com a sua cara sem gastar muito e sem lotar demais.

O objetivo do blog sempre foi inspirar e passar uma mensagem positiva pra vocês. Sei que ando distante, mas as coisas estão se ajeitando (finalmente). Então logo vocês verão uma nova fase por aqui, ou melhor, farão parte dela. Afinal o blog não seria nada se não fosse por vocês! Espero que continuem por aqui e obrigada por tudo!

Pessoal

Uma eterna espera

IMG_3869cA vida é uma eterna espera. Ultimamente essa é a frase que mais tenho ouvido por estar literalmente esperando por algo que desejo e sonho há muito tempo. A necessidade de ter uma resposta clara e exata faz com que minha busca seja cada vez mais desgastante. A pior parte é saber que o que estou esperando não está em minhas mãos e depende totalmente de pessoas que eu nem faço ideia de quem sejam. Devo confiar que tudo sairá como imagino? Ou no prazo que quero? Não sei. A única saída é realmente continuar esperando.

Desde criança sempre fui do tipo que quando tomava uma decisão não voltava atrás e seguia o caminho com foco e muita determinação, sem hesitar. Desistir? O que é isso? Essa palavra não existia no meu vocabulário e até hoje continua assim. A vida inteira fui teimosa e persistente. Tenho certeza que esses dois adjetivos me trouxeram onde estou agora. Mas então por que nesse exato momento estou presa em uma angústia onde não consigo me mexer?

Passei dias sentindo um vazio dentro do peito. É como se estivesse vivendo sem realmente viver, no modo automático. No começo meu pensamento positivo acabava com qualquer pensamento negativo e eu realmente conseguia enxergar o lado bom de uma situação terrível. Mas agora não sinto nada. É como se estivesse presa em uma bolha onde não existisse sentimentos e que me isolasse de tudo que é bom. No momento em que tomei a grande decisão eu sabia que passaria por situações ruins, mas eu estava determinada a não me deixar levar. Mas como posso controlar tudo que meu coração sente e continuar fingindo que estou bem? Acho que é impossível.

As horas vão passando e o Sol nasce e se põe todos os dias da mesma forma, no mesmo lugar. Tudo parece se repetir, repetir e repetir. E eu ainda estou aqui, estagnada. Quero sair desse ponto, quero seguir em frente e atravessar o oceano. Não quero ficar parada vendo como a vida dos outros é perfeita. Quero contar grandes histórias e ser lembrada por algo incrível. Quero ter o controle da minha vida, dos meus sonhos, das minhas atitudes. Posso não estar bem o suficiente para dar o meu melhor, mas o meu querer continua forte como sempre. Se ele é a única motivação que restou, eu usarei como meu escudo e avançarei na linha de frente, porque é onde quero estar.

Chega de ficar para trás e aceitar o papel de coadjuvante. Estou exausta de lutar, mas a batalha ainda não terminou e acredito que nunca terminará. Então mesmo que eu passe a eternidade buscando e lutando vou continuar. Esse é o meu princípio, é quem eu sou.