Minha infância, no Japão

Postado em Postado em Pessoal

Algumas pessoas imaginam como é morar em outro país. Deduzem que deve ser incrível, como uma realização de um sonho. Mas é impossível saberem sem realmente passarem por essa experiência.

Eu nasci no Brasil, mas mudei junto com a família para o Japão aos 3 anos. Tão pequena, não me lembro como foi entrar em um avião pela primeira vez, nem da decolagem, nem de chegar do outro lado do mundo. Tenho pequenos flashes de lembranças. Me recordo que a sensação foi como se eu estivesse dando um passei, que uma hora iria terminar.

Morei em um apartamento, com tatame no chão e uma vista bem legal do bairro. O apartamento ficava em um condomínio, com prédios germinados e parquinhos para crianças. Me lembro do dia em que visitamos o apartamento para ver se ficaríamos lá, eu adorei. Tudo bem que lá era um costume normal dormir em um colchão no chão, ter armários embutidos nos quartos com portas de correr e um ofurô (tipo uma banheira) no banheiro. Para mim tudo aquilo foi uma mudança super legal de rotina!

Passei meu jardim de infância numa escolinha bem legal com professores divertidos. Depois fui para o primário, mudando para uma escola japonesa enorme. Ah! Esqueci de dizer que eu aprendi a falar japonês praticando em casa, sem aula, só ouvindo. É que quando somos crianças aprendemos línguas muito rápido! Então, fiz vários amigos e foi uma fase muito divertida.

Eu e minha irmã sempre fomos grudadas, do tipo que uma protegia a outra e inventava brincadeiras juntas. Mas quando meu irmão nasceu quando eu tinha 4 anos, a “festa” acabou. Fiquei um bom tempo com ciúmes e todas aquelas chatices de irmã mais velha. Mas depois de uns meses passou e fiquei bem próxima dele.

Sempre me senti diferente e percebia isso pela forma como as pessoas me tratavam, de um jeito privilegiado e no bom sentido, porque eu era uma estrangeira descendente de japonês e alemão. E quando passeava pelo shopping com a minha mãe, e seus lindos olhos azuis, as pessoas das lojas vinham conversar curiosas.

Tive uma melhor amiga que também era estrangeira vinda do Brasil e morava no prédio do lado (que coincidência não?). Foi muita brincadeira e palhaçadas com ela. Eu era uma pestinha na escola com meus amigos, meninos mesmo. Nunca fui uma menina tranquila e estudiosa, não parava quieta, só aprontava com os meninos e era muito teimosa. Mas por isso curti ao máximo todos os momentos.

Tenho parentes lá, primos da mesma idade quase. Marcávamos muitos churrascos, passeios e encontros. Nessa época, eu já nem me lembrava de como eram os parentes daqui, do Brasil. Eu participei de um grupo de dança brasileiro e teve uma apresentação que dancei uma música da Ivete Sangalo, em um festival num parque cheio de pessoas hahaha. Guardei o jornal que publicou uma foto do grupo!

Foram tantos momentos legais que se eu contar metade deles o post vai dar páginas e páginas, por isso só estou contando o que foi mais marcante.

Eu me lembro que minha mãe sentia falta do Brasil e dos parentes, porque os japoneses realmente não eram tão calorosos e animados quantos os brasileiros. Além disso, se ficássemos mais alguns anos no Japão, eu e meus irmãos mudaríamos muito de personalidade e comportamento. Por isso, meus pais tomaram a decisão de voltarmos ao Brasil.

Em setembro de 2003, com 7 anos, eu e minha família voltamos. Com essa idade eu guardei bem minhas memórias: Desde a preparação das bagagens para a viagem de 12 horas, a despedida com as pessoas queridas e minha melhor amiga, a sensação de viajar em um avião e ver o mundo embaixo de nuvens, a vista de São Paulo cinzenta até a chegada ao aeroporto. Foi uma surpresa ver quase todos os parentes esperando no aeroporto, gritando “surpresa!”.

Enquanto eu estava observando São Paulo pela janela do carro, tive uma sensação deprimente. Foi como se um sonho tivesse terminado. Parecia que 4 anos e meio morando em outro país tivesse passado em algumas poucas horas. Fiquei triste por um tempo, mas tive que me adaptar.

Olhando as fotos de quando morei lá, percebo que realmente não foi um sonho. E fico pensando que um dia ele talvez volte a acontecer… Só que estarei bem acordada nesse dia, guardando todas as lembranças num lugar bem seguro na minha mente.

Algumas fotos que tirei para ilustrar o post:

Gostaram de conhecer um pouco mais sobre mim? Provavelmente alguns de vocês se identificaram e outros ficaram com vontade de passar por uma experiência assim. Meu conselho é tentar curtir ao máximo todos os momentos bons, registrar bastante e sempre estar aberto às mudanças e novas oportunidades que surgirem. Beijos a todos!

19 comentários em “Minha infância, no Japão

  1. Oi Victoria.
    Encontrei o seu blog quando estava navegando pelo blog do MeninaBR.
    Gostei do seu post, e me identifiquei com ele. Faz 2 anos que estou morando na Bélgica, resolvi lagar tudo no Brasil; trabalho, amigos, familiares, para vir morar com minha mãe e meu irmão mais velho. Estou vivendo um momento de crescimento, conhecendo uma cultura diferente, um idioma novo, mas ainda sinto muita saudade do Brasil, do calor humano que eu acho que só tem ai.
    Parabéns pelo blog, sucesso para você.
    🙂

    1. Obrigada mesmo, que legal saber que você está morando na Bélgica! Deve ser bem diferente do Brasil também. Fiquei feliz que você contou um pouco da sua experiência em outro país, é muito bom saber a visão de diferentes pessoas sobre esse assunto.

  2. Que legal.. Gostei do post. E é bom que você lembra de muitas coisas né.
    Eu morei em outra cidade até meus 5 anos e não me lembro de quase nada.
    Beijos

  3. Adorei sua história! Por mais que você não lembre muito bem com certeza foi uma experiencia muito boa morar fora! Eu tenho esse sonho de um dia morar nem que seja um aninho fora do país, mas pra isso, bora juntar $$$ rs
    Beijos

  4. Sério, que sortuda você! Meu sonho é ir para o Japão desde que eu era pequenininha. Acho que nasci com isso e nem sou descendente de japoneses. Lembro de pedir para minha avó passar lápis preto nos meus olhos porque eu queria fingir que tinha olhos puxados.
    Hoje faço aula de japonês, mas ainda estou no básico. Se eu tivesse aprendido quando pequena seria beeeem mais fácil. Estou apanhando um pouco, mas espero daqui uns anos estar craque e poder conhecer esse país incrível.

  5. Oi vic, amei conhecer seu blog… sou de Campinas tmb (concidencias a parte rsrs). Amei seue estilo, vc poderia fazer um post com dicas legais de lojas aqui em Campinas por um preçinho amigo rs. Beijos querida! Ps: Xones no seu cabelo

  6. Amei seu blog, me indicaram ele pelo face, pois estou a procura de blogs diferentes pra ler e o seu foi um achado e tanto! Adoro o japão e fiquei com inveja rs

  7. Muito legal a história da sua infância no Japão.
    Também fui para lá quando criança, com 5 anos pela primeira vez, fiquei 1 ano, voltei ao Brasil e com 11 anos retornei ao Japão, mas dessa vez fiquei até os 20.
    Tive a mesma sensação quando voltei, que um sonho tinha acabado, fiquei meio deprimida e tal, mas hoje em dia já posso dizer que me acostumei.
    Seu blog é lindo =)

    1. Então você sabe como tudo é diferente lá e se ficou tanto tempo deve ter aproveitado bem. É estranho voltar para cá e acostumar com as pessoas não é? Gostei de saber da sua experiência e obrigada pelo elogio 🙂

  8. Gostei do post, é sempre bom a gente ver um pouco da vivencia alheia, tomar uma dose de realidade sobre certas coisas, como o sonho de morar fora.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *