Festival das Estrelas na Liberdade, em São Paulo

Postado em Postado em Fotografia, Fotos da Semana, Pessoal

Semana passada fiquei uns dias em São Pulo aproveitando para sair com meus tios e primo. Fui em vários lugares, mas o dia que mais tirei fotos foi o domingo quando passei na Liberdade, dia 07/07. Essa data chama atenção não só porque soa bem, mas porque nela é comemorado o “Tanabata Matsuri” ou “Festival das Estrelas” que é um festival da tradição japonesa comemorado há mais de 1.150 anos.

Para quem não conhece (eu sei que é a maioria) vou resumir a lenda que deu origem ao festival. Confesso que eu mesma costumava comemorar quando morava no Japão, mas por ser criança não entendia a história e o significado direito.

A lenda conta que uma linda princesa chamada Orihime morava na Via-Láctea, se dedicando no tear de roupas. Um dia, seu pai, o Senhor Celestial, apresentou um pastor muito bonito, Kengyu, por quem a princesa logo se apaixonou. Depois do casamento, os dois passavam o tempo todo juntos e esqueceram de todas as suas obrigações. Irritado com a falta de responsabilidade do casal, o Senhor Celestial obrigou cada um a morar em um lado da Via-Láctea permitindo que se encontrassem num único dia do ano, no sétimo dia do sétimo mês. Porém para se encontrarem deveriam atender a todos os pedidos vindos da Terra.

Por isso nesse dia as pessoas fazem pedidos, escrevendo em  tanzakus, que são os papéis coloridos. Cada cor representa um desejo, por exemplo, branco quer dizer paz, verde quer dizer esperança, vermelho quer dizer amor… depois penduram em bambus.

Eu morri de rir quando perguntei o que significava a cor amarela e a moça me respondeu que era dinheiro. Daí perguntei se tinha algum ainda vendendo e ela disse: “olha, eu acho que tá todo mundo pobre hoje! Vou ficar te devendo!”. Acabaram TODOS os papéis amarelos de todas as barraquinhas que vendiam! E ainda era hora do almoço. Isso quer dizer que todos nós estamos na mesma, desejando muuuito dinheiro!

As ruas ficam cheias de tanabatas, que são as bolas com fitas coloridas. Também enchem de barraquinhas com produtos japoneses, ou não (a gente sempre encontra umas barraquinhas brasileiras que parecem ter se perdido no lugar errado). Mas o legal é que dá para matar a saudade da culinária japonesa! Fiquei doida quando entrei nas lojas de conveniências e produtos importados!

     

Fiquei impressionada com o homem fingindo ser uma estátua e esse outro moço, que não me disse de qual cultura/país ele era. Provavelmente deve ser do Peru, eu acho. Mas de qualquer jeito, gostei dos acessórios e ele foi bem simpático.

Entrei em uma padaria igual uma que eu frequentava na cidade onde morei no Japão, com pegadores para as pessoas se servirem e colocarem os doces nas bandejas. Até o cheiro me trouxe lembranças. Mas então veio uma dúvida cruel: qual doce escolher?

Acabei escolhendo um cheesecake com morando! Saboreei cada garfada, hum…

Eu não podia ir embora sem levar os biscoitos de coala! Como eles desde pequena é praticamente uma obrigação comprar quando vou em lugares que vendem produtos japoneses. Vocês sabiam que eu gosto de guardar embalagens japonesas? Eu sei, é estranho.

Não fiquei muito tempo na Liberdade, infelizmente. Mas deu para aproveitar bem. Se eu morasse em São Paulo com certeza ia passar por lá sempre já que um bairro tradicional japonês da cidade. Para quem nunca foi vale a pena visitar. Espero que tenham gostado das fotos e de conhecer um pouco das tradições japonesas!

2 comentários em “Festival das Estrelas na Liberdade, em São Paulo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *